VIDRARIAS DE LABORATÓRIO E SUAS FUNÇÕES

Vidrarias de Laboratório

Mateus Felipe 2 years agoVidraria

Em um laboratório de análises clínicas e indispensável as vidrarias,materiais que usamos para a manipulação de reagentes,amostras biológicas e etc.Foi pensando nessa importância que eu resolvi fazer um post sobre vidrarias laboratoriais aqui no blog para todos vocês.

Almofariz com Pistilo

Usado na trituração e pulverização de sólidos em pequena escala.

Balão de Destilação

É utilizado em destilações simples ou fracionado; o braço do balão é então ligado ao condensador.

Balão De Fundo Chato

Utilizado como recipiente para conter líquidos ou soluções, ou mesmo, fazer reações com desprendimento de gases. Pode ser aquecido sobre o tripé e a manta aquecedora.

Balão de Fundo Redondo

Utilizado principalmente em sistemas de refluxo e evaporação a vácuo, acoplado a um rotaevaporador. Utilizado também em reações com desprendimentos gasosos.

Balão Volumétrico 

Possui volume definido e é utilizado para o preparo de soluções com precisão em laboratório. É utilizado para preparo de soluções e para medir com precisão um volume único e fixo descrito no balão.

Bastão de Vidro

Serve para agitar ou transferir líquidos de um recipiente a outro. Ela é feita de vidro para não causar uma reação química na substância em questão.

Béquer 

É de uso geral em laboratório, servindo para dissolver substâncias, efetuar reações químicas, aquecer líquidos, etc. Também pode ser aquecido utilizando o bico de Bunsen em conjunto com a manta aquecedora.

Bico de Bunsen

É a fonte de aquecimento utilizada no laboratório. Não devem ser utilizadas substâncias inflamáveis.

Bureta

É um equipamento calibrado para medir o volume de líquidos precisamente. Ela é graduada em décimos de milímetro e é muito utilizada em titulações.

Cadinho

Geralmente é feito de porcelana. Serve para calcinação (aquecimento a seco e muito intenso) de substâncias. Poder ser colocado em contato direto com a chama do bico de Bunsen. Suporta altas temperaturas (acima de 500°C), dependendo do material que foi construído, ferro, chumbo, platina ou porcelana.

Cápsula de Porcelana

Peça de porcelana usada para evaporar líquidos das soluções e na secagem de substâncias. Podem ser utilizadas em estufas desde que se respeite o limite de no máx. 500°C.

Condensador

Utilizado na destilação tem como finalidade condensar vapores gerados pelo aquecimento de líquidos. Os mais comuns são os de Liebig (retos), mas há também o de bolas e de serpentina. É comumente utilizado em conjunto com o balão de destilação.

Erlenmeyer

Tem as mesmas finalidades que o béquer ao fazer titulações, aquecer líquidos e dissolver substâncias, dentre outras, mas tem a vantagem de permitir a agitação manual – o seu afunilamento em cima anula o risco de perda de material.

Espátulas e Colheres 

Utilizadas para transferência de sólidos, são encontradas em aço inox, porcelana, níquel, osso e pp.

Estante para Tubos de Ensaio

É usada para suporte dos tubos de ensaio.

Funil Haste Longa

Ele é feito de vidro e é utilizado na transferência de substâncias entre recipientes e na filtragem de substâncias como o auxílio de um filtro de papel.

Kitassato 

Utilizado em conjunto com o funil de Büchner em filtrações a vácuo. Compõe a aparelhagem das filtrações a vácuo. Sua saída lateral se conecta a uma trompa de vácuo. É utilizado para uma filtragem mais veloz, e também para secagem de sólidos precipitados.

Pipeta Graduada

Utilizada para medir pequenos volumes. Mede volumes variáveis. Não pode ser aquecida e não apresenta precisão na medida. Mede volumes variáveis e não pode ser aquecida.

Pipeta Pasteur

Usada para lavagem de vidrarias com solventes não aquosos ou então para transferências.

Pipeta Volumétrica

Usada para medir e transferir volume de líquidos, não podendo ser aquecida, pois possui grande precisão de medida. Mede um único volume, o que caracteriza sua precisão.

Placa de Petri

Peças de vidro ou plástico. Utilizadas para desenvolver meios de cultura bacteriológicos e para reações em escala reduzida e também para observar a germinação das plantas e de grãos de pólen ou o comportamento de pequenos animais, entre outros usos.

Tubo de Ensaio

Nele podem ser feitas reações em pequena escala e pode ser aquecido diretamente sob a chama do bico de Bunsen.

Essas são as principais vidrarias de laboratório.Muito em breve novos posts sobre vidrarias serão colocados aqui no blog.Aguardem.

Fontes imagens:http://www.vidrariadelaboratorio.com.br/vidrarias-de-laboratorio-2/

“Todo amanhã se cria num ontem, através de um hoje. De modo que o nosso futuro se baseia no passado e corporifica no presente. Temos que saber o que formos e o que somos para saber o que seremos” .

(FREIRE, 1999)

Campinas, 14 de Julho de 2020.

 Fernando Henrique da Silva, iniciei minha carreira profissional na autarquia municipal Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A – SANASA, no município de Campinas SP em 19 de Nov./ de 2001.

Esta inicia – se na Coordenadoria de Manutenção em Adutoras como Ajudante de Obras e Serviços Gerais onde permaneci por três(3) anos e oito meses.

Após ser aprovado em concurso interno, comecei a trabalhar na Gerência de Operação de Esgoto, no setor de ETE Santa Mônica onde permaneci por quase nove anos, aproximadamente, como Agente Técnico de Saneamento ll, na função de Operador de ETE’s.

Atualmente estou trabalhando na Coordenadoria de Análise da Infraestrutura de Redes e Ligações como Agente Técnico de Saneamento III (Fiscalização) exercendo a função de Fiscal predial, residencial, comercial e industrial, a fim de identificar possíveis irregularidades nas instalações hidráulico–sanitárias que estejam em desacordo com as normas da SANASA e possam causar entupimentos e/ ou rompimentos da rede coletora de esgoto, com a ênfase em despoluição de córregos e rios do município de Campinas – SP através do Programa de Despoluição de Corpos D’Água.

Curso Técnico em Química – Cursando ( iniciei este curso para complementar minha carreira profissional e acadêmica).

FORMAÇÃO ACADÊMICA

ETEC Conselheiro Antônio Prado – ETECAP

Curso Técnico em Química – Cursando ( iniciei este curso para complementar minha carreira profissional).

Período 2020 á 2021

Centro de Educação Profissional de Campinas “Prefeito Antônio da Costa Santos” – CEPROCAMP

HABILITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO AMBIENTAL, com ênfase em SANEAMENTO, Área: MEIO AMBIENTE

Período: 2005 á 2007

Ensino Superior Faculdade São Marcos– Curso: Tecnologia em Gestão Ambiental – Tecnólogo

Foi desenvolvido o TCC em grupo sobre: Estudo de Caso: Óleo Queimado Gerado em Posto de Combustível.

Período: Mar./2010 a Jun./2012                                  

Pós-Graduação SENAC – Curso: Gerenciamento em Resíduos Sólidos

Foi desenvolvido o TCC em grupo sobre: Programa de coleta seletiva nas prefeituras: desafios e oportunidades.

Período: Fev./2015 a Jul./2016

Pós-Graduação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceara- IFCE (ANA – Agencia Nacional das Águas).

Curso: Gestão de resíduos sólidos – Cursando

Período: Fev./2017 à jun./2018

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora